quarta-feira, 19 de novembro de 2008

ENTREGO-ME A TI...

Quero sentir-me dentro de ti
Como o sangue que lhe escorre
Pelas entranhas.

Quero penetrar-te profundamente
Tal riacho que com sua água pura
Embrenhar-se malicioso entre a rocha,
Fazendo-a gemer ao sentir
Escorrendo dentro de si
O líquido da vida.

Quero-te tão infinitamente minha
Que se morresse seria capaz também
De morrer para encontrar-te no Hades
De onde lhe tiraria das mãos de Plutão.

Resgatada dar-te-ia meu coração
E como muito ardor me entregaria
A este corpo, infinitamente belo
Cuja maciez da pele é tentação.

19 de novembro de 2008, 22h45min
Robério Pereira Barreto.

Um comentário:

Rejane disse...

Meu zeus poeta! como não delirar ou sonhar com uma poética tão encantadora e sedutora como essa!!??

De onde vem tanta inspiração e ousadia com palavras que faz com que qualquer leitor admirador seu, se entregue a esse sonho??
Ah , eu me entrego...

Parabéns!!!