sexta-feira, 19 de março de 2010

CHOQUE DE IMAGINAÇÃO

Envolvida no labor rotineiro de sua casa, no qual o corpo suado demonstra o quanto era sentenciado, por ter pensamentos que, em liberdade inconteste, viajava a desejar mundos ainda não vividos.
Ouve-se o barulho da campanhia. Blim blom, blim blom...
Espantada pergunta a si mesma:
- Quem será? O que houve?
- Espera um pouco!
Olha-se no espelho e arruma os cabelos falando consigo mesma: a essa hora não deve ser ninguém importante, será mais um vendedor porta a porta ou...
Pasma-se ao olhar pelo olho mágico e ver do outro lado.
- E agora, o que faço...
- não vou abrir... deixa tocar vai desistir.
Por um minuto mil coisas lhes vêm a cabeça.
- Essa é minha oportunidade de tê-lo na minha casa...
- Como vai reagir ao me ver assim, toda descabelada, suada...
Blim blom, blim blom, blim, blom
Num misto de euforia e surpresa abre o portão.
- Nossa, você?! Entra.
O silêncio dos amantes toma conta do ambiente. Ambos se admiram e numa lance de frenesi bocas e corpos se encontram em êxtase e...
Os desejos que até então confinados em suas mentes permaneciam, são liberados com a euforia de prisioneiros que recebem indulto para a liberdade.
Sem receio fazem-se amantes por intensos instantes.
Saciados, olharam-se displicentemente e se despendiram num silêncio que dizia: Aguarde! Que sabe um dia outra vez...

3 comentários:

Anônimo disse...

Prof. Que coisa louca esse conto. Achei perfeito a forma como você narrou isso. Parabéns.

diana disse...

Very good!!! An so hot... rsrsrs. I like it very much!!! You are an wonderful writer!! Congratulations! =D

Anônimo disse...

A inspiração, de onde nascera, de uma conversa e outra ou dessa mente maravilhosa que faz de você poeta o mais belo contador das mentiras do coração. Continue assim nos fazendo sonhar. Xerooo