quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Quando o coração dispara
Pela campina da solidão
Reclamo às pressas
E vejo você no sertão.

A alma de asa versa
Campeia na pressa
Tal alazão solto campo
A cortar o vento no galope.

Num golpe de sorte
Encontra à margem da saudade
Nosso querer assentado
No crepúsculo cor de outro.

18 de agosto de 2009, 20h21min.
Robério Pereira Barreto

Um comentário:

Patty Maionese disse...

Professor cuidado com o coração , na sua idade pode infartar. rssrsrss. Brincadeiras a parte, lindo poema. Sugiro que coloque uma barra de procura neste blog, pois a gente leva secúlos par encontrar algo!