domingo, 9 de agosto de 2009

MARCAS...

Sobre a toalha as manchas
Do resto de vinho solvido
Em momentos de amor,
Agora denunciam a dor
De estar só.

No lençol amarrotado
E na cama desfeita,
O cheiro de nós espalhado
Faz do ar massa rarefeita
E confundir o pensamento.

Embriagado na vontade de ti
O coração está a sentir
Saudades...

09 de agosto de 2009, 16h42min
Robério Pereira Barreto

5 comentários:

Anônimo disse...

sHOW!mTO MaSSaaaaaaaaaaaaa!

Anônimo disse...

Saudade,saudade, saudade sempre ela a pertubar...

Anônimo disse...

Saudade é a marca de tudo e Robério parece se relacionar muito bem com ela.

Anônimo disse...

Gostaria de ser marcada por essa...

Patty Maionese disse...

E agora com tirar as manchas de vinho da toalha, e as marcas da alma?
Como tirar as lembranças que amarrotam a alma?
Como limpar o coração das dores advindas do amor?
Como não sentir saudade, que impedir que ela nos tome? Acho que é um questionamento válido! Se souber as respostas para essas questões; Se souber como me avise!