segunda-feira, 20 de abril de 2009

PERAMBULANDO...

Pelo infinito passeando,
O vento penetrou na alma
Pelos poros de minha face,
Correu pelas veias indo ao
Coração acariciá-lo como
Se fosse suas mãos em mim.

De volta e nos seus braços
Tranqüilizei a tal ponto
Que adormeci a esperar
De seu beijo e...


20 de abril de 2009, 22h10min.
Robério Pereira Barreto

5 comentários:

Anônimo disse...

Gostei da viagem e do encontro. Vento-Alma.

Isa disse...

Li em primeira mão!!!
Linda!
É bom ter braços p voltar e receber carinho...

Anônimo disse...

Sou apaixonada por essas reticencias...elas afirmam a sensação de estar sempre perambulando e de que sempre posso ir além...

Inveja boa disse...

... ir além é imaginar o impossível...

Anônimo disse...

Viver a fantasia da vida é perambular na imaginação... valeu poeta!